Estátisticas

Contador

08 julho 2012

Bulimia e Anorexia, ser magra não é está com a saúde 100%



     
Nas revistas e nos sites de mota dificilmente você ver anúncios sobre Bulimia e anorequixia,e esse é um dos maiores problemas que muitas jovens andam enfrentando. O caso foi esquecido por muitas pessoas mais a World Alternative não esqueceu e se preocupa muito com esse assunto.
As revistas e Sites acabam influenciando as meninas a serem magras, e por elas só verem
pessoas magras também querem imagrecer a qualquer custo, e por isso essa atitude acabam tendo  alguns problemas, que na maioria das vezes o problema é muito serio. 
Jovem : porque não existe modelos gordas ?
Dizem que é porque "pessoas magras podem usar qualquer roupa que fica bem"
pessoas gordas também podem ficar bem com determinada roupa que uma pessoa muito magra não ficaria.
Mais a questão é, ser magra é questão da saudade 100% ? Não é ! ser gorda também não, estando magra ou não a pessoa tem que se sentir bem do jeito que ela é, a questão da Bulimia e anorequixia é muito serio, não tomem decisões sem consultar uma nutricionista,porque lá ela vai ver o que é melhor pra você, você emagrecendo do seu jeito pode não ser o melhor, e em relação de tomar remédio para emagrecer, ele só destrói o seu corpo por dentro.
Vamos ver o que é Bulimia Nervosa:
Em pacientes com bulimia, não é a magreza que chama a atenção. Às vezes, são mulheres de corpo escultural, que cuidam dele de forma obsessiva. Vivem em dieta. De repente, ingerem uma quantidade absurda de alimentos e depois vomitam para evitar o ganho de peso, tomam laxantes e diuréticos e fazem exercícios físicos até caírem extenuadas.
A diferença básica entre anoréticos e bulímicos é o estado de caquexia (extrema desnutrição) a que podem chegar pacientes com anorexia.
Sintomas

* Ingestão exagerada de alimentos em curtos períodos de tempo sem o aumento correspondente do peso corporal;

Vômitos auto-induzidos por inversão dos movimentos peristálticos ou colocando o dedo na garganta;

Uso de laxantes e diuréticos indiscriminadamente;

Dietas severas intermediadas por repentinas perdas de controle que levam à ingestão compulsiva de alimentos;

* Distúrbios depressivos, de ansiedade, comportamento obsessivo compulsivo, auto-mutilação.

Causas

São as mesmas da anorexia. Entre elas destacam-se predisposição genética, pressão social e familiar e valorização do corpo magro como ideal máximo de beleza.

Recomendações

Algumas profissões são consideradas de risco para a anorexia. Bailarinas, jóqueis, atletas olímpicos, precisam estar atentos para a pressão que sofrem para reduzir o peso corporal;

* A faixa etária está baixando nos casos de anorexia. A família precisa observar especialmente as meninas que disfarçam o emagrecimento usando roupas largas e soltas no corpo e se recusam a participar das refeições em casa;

*
 Às vezes, os familiares só se dão conta do que está acontecendo quando, por acaso, surpreendem a paciente com pouca roupa e vêem seu corpo esquelético, transformado em pele e osso. Nesse caso, é urgente procurar atendimento médico especializado;

O ideal de beleza que a sociedade e os meios de comunicação impõem está associado à magreza absoluta. É preciso olhar para esses apelos com espírito critico e bom senso e não se deixar levar pela mensagem enganosa que possam expressar;

* Se o paciente anorético estiver correndo risco por causa da caquexia e dos distúrbios psiquiátricos deve ser internado num hospital para tratamento médico.

Tratamento

O tratamento da bulimia nervosa exige o acompanhamento de equipe multidisciplinar composta por médicos, psicólogos, nutricionistas. Medicamentos antidepressivos podem ser úteis, especialmente se ocorrerem distúrbios como depressão e ansiedade. O diagnóstico da doença nem sempre é fácil, porque os sintomas não são evidentes como os da anorexia.
Infelizmente, não se conhecem métodos eficazes para prevenir patologias como a bulimia e a anorexia. Seria necessário um empenho da sociedade na mudança de certos valores estéticos ligados ao culto do corpo e à magreza.
Anorequixia : 
O que é?
Anorexia nervosa é um transtorno alimentar no qual a busca implacável por magreza leva a pessoa a recorrer a estratégias para perda de peso, ocasionando importante emagrecimento. As pessoas anoréxicas apresentam um medo intenso de engordar mesmo estando extremamente magras. Em 90% dos casos, acomete mulheres adolescentes e adultas jovens, na faixa de 12 a 20 anos. É uma doença com riscos clínicos, podendo levar à morte por desnutrição.

O que se sente?

Perda de peso em um curto espaço de tempo.
Alimentação e preocupação com peso corporal tornam-se obsessões. Crença de que se está gordo, mesmo estando excessivamente magro.
Parada do ciclo menstrual (amenorréia).
Interesse exagerado por alimentos.
Comer em segredo e mentir a respeito de comida.
Depressão, ansiedade e irritabilidade.
Exercícios físicos em excesso.
Progressivo isolamento da família e amigos.
Complicações médicas
    Desnutrição e desidratação.
    Hipotensão (diminuição da pressão arterial).
    Anemia.
    Redução da massa muscular.
    Intolerância ao frio.
    Motilidade gástrica diminuída.
    Amenorréia (parada do ciclo menstrual).
    Osteoporose (rarefação e fraqueza óssea).
    Infertilidade em casos crônicos.
Maior propensão a infecções por comprometimento do sistema imunológico
Quais são as causas?
Não existe uma causa única para explicar o desenvolvimento da anorexia nervosa. Essa síndrome é considerada multideterminada por uma mescla de fatores biológicos, psicológicos, familiares e culturais. Alguns estudos chamam atenção que a extrema valorização da magreza e o preconceito com a gordura nas sociedades ocidentais estaria fortemente associada à ocorrência desses quadros.
Como se desenvolve?
A preocupação com o peso e a forma corporal leva o adolescente a iniciar uma dieta progressivamente mais seletiva, evitando ao máximo alimentos de alto teor calórico. Aparecem outras estratégias para perda de peso como, por exemplo: exercícios físicos excessivos, vômitos, jejum absoluto.

A pessoa segue se sentindo gorda, apesar de estar extremamente magra, acabando por se tornar escrava das calorias e de rituais em relação à comida. Isola-se da família e dos amigos, ficando cada vez mais triste, irritada e ansiosa. Dificilmente, a pessoa admite ter problemas e não aceita ajuda de forma alguma. A família às vezes demora para perceber que algo está errado. Assim, as pessoas com anorexia nervosa podem não receber tratamento médico, até que tenham se tornado perigosamente magras e desnutridas.

Como se trata?

O tratamento deve ser realizado por uma equipe multidisciplinar formada por psiquiatra, psicólogo, pediatra, clínico e nutricionista, em função da complexa interação de problemas emocionais e fisiológicos nos transtornos alimentares.

Quando for diagnosticada a anorexia nervosa, o médico deve avaliar se o paciente está em risco iminente de vida, requerendo, portanto, hospitalização.

O objetivo primordial do tratamento é a recuperação do peso corporal através de uma reeducação alimentar com apoio psicológico. Em geral, é necessário alguma forma de psicoterapia para ajudar o paciente a lidar com sua doença e com as questões emocionais subjacentes.

Psicoterapia individual, terapia ou orientação familiar, terapia cognitivo-comportamental (uma psicoterapia que ensina os pacientes a modificarem pensamentos e comportamentos anormais) são, em geral, muito produtivas.

Para o quadro de anorexia nervosa não há medicação específica indicada. O uso de antidepressivos pode ser eficaz se houver persistência de sintomas de depressão após a recuperação do peso corporal.


O tratamento da anorexia nervosa costuma ser demorado e difícil. O paciente deve permanecer em acompanhamento após melhora dos sintomas para prevenir recaídas.




Como se prevenir ?
Uma diminuição da pressão cultural e familiar com relação à valorização de aspectos físicos, forma corporal e beleza pode eventualmente reduzir a incidência desses quadros. É fundamental fornecer informações a respeito dos riscos dos regimes rigorosos para obtenção de uma silhueta "ideal", pois eles têm um papel decisivo no desencadeamento dos transtornos alimentares.
Qual é a diferença entre bulimia e anorexia?
Bom, as duas são doenças na qual a pessoa mesmo não tendo gordura corpórea se acha gorda e busca uma maneira de emagrecer.
*A anorexia é uma disfunção alimentar, que caracteriza-se por uma insuficiente dieta alimentar e estrese físico, ou seja, a pessoa simplismente diminui radicalmente o que come, muitas comem apenas bolacha de água e sal dieght ou light e bebida apenas água mineral.
*A bulimia é uma disfunção alimentar associada a anorexia, a pessoa bulímica apresenta períodos em que se alimenta em excesso e com o sentimento de culpa com "ganho de peso" passa a exercita-se de forma desmedida, provoca vômito e usa auxilio de purgantes e diuréticos.

Ou seja, a diferença está que a Anorexia é o primeiro estágio da doença onde a pessoa evita comer, já na Bulimia a pessoa come, porém provoca o vômito, faz atividades físicas em excesso, e ainda utiliza purgantes e diuréticos, para compensar o "ganho de peso".





Barbie Winehouse anorexa